Pesquisar este blog

3 de nov de 2012

A Felicidade Não Se Compra


Uma delícia reviver esse clássico do cinema. Um filme de 1946, alguns antos antes sequer de imaginar que eu estaria vivendo nesse planeta, e até hoje tão atual... Nasci, cresci e me tornei fã de James Stewart e nesse filme, o sorriso maravilhoso dele nas cenas finais me mostraram como esse homem era lindo. Atuava bem, aparentemente foi bem casado e, segundo as informações, sempre foi um homem do bem.

Vale a pena rever sempre esse filme, que contra todas as probabilidades, se tornou um clássico natalino. Pelas belas atuações, e também pelas lindas mensagens que nos passa.

Se pudéssemos ter um pouquinho sequer da consciência do quão intensamente tocamos a vida das pessoas a nossa volta, talvez, quem sabe, procuraríamos agir de maneira mais coerente.

Mas, isso não acontece, por que como numa novela, nos achamos enredados em nosso mundo interior, em nossos anseios e desejos,e  não enxergamos o bom que fazemos aos outros; mesmo quando pensamos que estamos fazendo exatamente o contrário.

O título do filme em inglês é "It's a wonderful life", que teve como tradução nos cinemas do Brasil "A Felicidade Não Se Compra" e em Portugal "Do Céu Caiu uma Estrela".  Mas prefiro me ater a tradução literal do título do filme: "Esta é Uma Vida Maravilhosa", exatamente por que fazemos parte dela, é a nossa vida, junto com a vida de outras pessoas, e tudo isso junto torna a nossa existência uma dádiva do Pai, para que possamos aprender a viver, a conviver, a reviver, e reavivar a Vida desde a mais tenra idade.

Namastê. O Deus em mim saúda o Deus em você.

21 de out de 2012

PAI

PAI 
Não tenho lembranças da infância com você.
Tenho lembranças criadas pelos relatos de alguns.
A infância correu solta pela rua, tua ausência eu não sentia.
Na adolescência comecei a te procurar.
Encontrei um ser humano cansado, suando pelo pão nosso de cada dia.
As conversas foram poucas, espirituais e vagas.
Faltou-me coragem para se aproximar de ti.
Faltou-te o hábito de se aproximar de mim.
Vivíamos lado a lado, sem se tocar, nem mesmo com o olhar.

Cresci te respeitando, mas muito carente de você.
Quando sentado, conversávamos apenas banalidades.
E nem lembro o tema dessas poucas trocas de palavras.
Quanta coisa gostaria de ter te dito.
Quanto sentimento gostaria de ter te mostrado.
Mas havia um distanciamento. Um abismo.
Quando deveria haver apenas AMOR.

Acredito que nos amávamos, de longe, como num sonho.
Ao pensar em ti vem a lembrança de momentos agradáveis.
Mas eu buscava algo mais profundo.
Queria carinho, beijos, afagos, demonstrações físicas de afeto.
Mas isso não fazia parte de seu tempo, de sua história de vida.
Aliás, eu nunca soube nada de sua vida.
Só sabia que realmente amavas tua companheira, a minha mãe.
Que enfrentastes o mundo para ficar com ela.

Penso que te via como o homem que eu queria para mim.
Aquele que iria desbravar mundos e povos por meu amor.
E assim cresci, embalada no conto de fadas da tua história.
E nunca esse homem conheci.
Nunca esse amor vivi.
E foram tantas decepções, tantas desesperanças.
Que nem mesmo sei como sobrevivi.

Um dia, você partiu desse mundo e levou embora todas as minhas esperanças.
O homem que um dia sonhei não refletia mais no meu espelho.
O espelho havia quebrado.
Os pedaços ficaram espalhados por todos os lados de minha vida.

E eu nunca tive coragem de olhar para trás.
Passei a sonhar com você quase sempre.
E a cada sonho tentava me esconder de ti.
Tinha medo de teu fantasma.
E você continuava mais distante ainda.
Até mesmo nos sonhos a distância física existia.
Tremia de medo, pois achava que não iria conseguir seguir adiante sem você.
Que lógica tinha isso?
Como podia morrer por alguém que se apresentava tão distante?
Seria alguma coisa espiritual?
Seria apenas o meu desejo de viver o teu conto de fadas?
Aquele conto de fadas que sempre li em revistas de amor na adolescência.

Minha vida estava acabada.
O vazio que existia jamais seria preenchido.
O amor platônico continuaria cada vez mais platônico.
Não pensei que isso refleteria em toda a minha existência.
Acreditei que com o passar do tempo o vazio fosse preenchido.
E em sonho você trouxe minha filha.
E em sonho viestes conhecê-la depois de nascida.

Então, um dia, você desapareceu totalmente de minha vida.
Nem em sonho te via mais.
O vazio que me acompanhava só aumentou.
Que sentido tinha aquele amor?
Sem a tua presença nem mesmo nos sonhos?
Meus medos não permitiram-me se aproximar de você em sonhos.

Hoje eu entendo que tua vida pertencia a outra época.
Hoje eu entendo que eu mesma vivia em outra época.
Uma época de mudanças profundas em nossa cultura familiar.
Uma época onde houve muita luta em tua vida.

Eu era rebelde. E o Amor que sentia por você me tornava mais rebelde ainda.
Por sentir que esse Amor não era retribuído por você.
Eu precisava ouvir que você me amava.
Como não ouvia, precisava sentir seu contato físico, seu abraço.

Mas nada disso aconteceu.
E vivi com esse vazio.
E com a dúvida: você me amou?
Sim. Eu sei que amou.
Você demonstrou isso em sonho enviado a minha mãe.

Lembro do primeiro sonho que tive depois que você partiu deste mundo.
Você disse que a minha vida iria mudar muito daquele momento em diante.
Disse que eu precisaria ser muito, mas muito forte, para enfrentar o que viria.
E eu achava que o que viria seria algo material.
Jamais pensei que seria esse turbilhão emocional vivo até hoje.
Jamais pensei que a tua falta eu sentiria quase como uma sentença de Morte.

Atravessei muitos meses atormentada com os sonhos onde você aparecia.
Você sempre aparecia me cercando nos arredores de minha casa.
Por que eu sempre tive medo do seu fantasma.

Mas se eu tivesse tocado o seu AMOR.
Se o seu AMOR tivesse me tocado.
Eu não teria esse medo.
Eu não teria medo algum.
E viveria em Paz.

E hoje eu quero, eu preciso me aproximar de você.
Será que conseguirei ultrapassar a barreira da materialidade?
Será que conseguirei te tocar como sempre quis?
Te acariciar como sempre quis?
Quebrar a distância que havia entre nós?
Será possível?
Preciso sonhar com você novamente.
Preciso que voltes aos meus sonhos.
Preciso que me abraces em sonho.

Então, vou adormecer todos os dias chamando por você.
Que se danem os meus medos, que se danem os obstáculos.
Não há obstáculos para o AMOR.
Assim aprendi, e acredito nisso.
Eu te AMO, Pai. Sempre amei.
Eu quero tocar o seu AMOR.
Eu quero que o seu AMOR preencha a minha vida.
Eu quero que o seu AMOR ilumine os meus dias.
Para que o seu AMOR me ensine novamente a viver.

Eu te amo, eu te amo, eu te amo.
Eu sinto muito, eu sinto muito, eu sinto muito.
Me perdoe, me perdoe, me perdoe.
Muito obrigada, muito obrigada, muito obrigada.

14 de out de 2012

MÃE

MÃE 

Estranho não ter saudades tuas.
Penso que seu Amor por mim foi completo.
Silencioso, mas completo.
Amor de Mãe.
Aquele Amor que nem sempre os filhos percebem.
Mas sentem e são preenchidos totalmente.

Até eu mesma me tornar Mãe, não sabia que você me amava.
Éramos tantos filhos ao teu redor.
Éramos tantos corações famintos de teu Amor.
Mas seu coração abraçou todos nós.
Hoje eu sei...

Mas teve uma época em que não soube de seu Amor.
Foi numa época tão conturbada de minha vida.
Mas também foi uma época muito estranha na tua vida.
A família grande, os festejos, os netos chegando.
Grandes e profundas mudanças acontecendo no seio familiar.
E me perdi na adolescência. Me confundi na adolescência.
Mas não se confundem todas as adolescentes?

Havia um turbilhão de implicações e explicações não ditas.
Por que você preferia o silêncio. Era uma mulher de oração.
E eu cresci tão silenciosa quanto o seu silêncio diário.
Nunca, em tempo algum conversávamos.
Por que? O que te incomodava tanto?
Eu segui outro caminho religioso, teria sido esse o meu pecado?
Não acredito. Me surpreendia as tuas atitudes tão liberais.

Assim eu via você, silenciosa, sempre pensativa.
Hoje penso que rezavas por todos nós, seus filhos.
Hoje eu sei que o seu coração sabia ser o seu Amor invisível.
Por isso tu rezavas. Dia e noite.
Por tua própria vida passada, tumultuada, corajosa.
Por tua própria Mãe, também silenciosa e que vivia em oração.

Depois que me tornei Mãe, meu coração ainda custou a te entender.
Ficou até mesmo um pouco mais confuso.
Por que minha pequena filha era como um diamante muito raro herdado.
E eu precisava cuidar daquele diamante da melhor forma que podia.

E as diferenças surgiram. Gritavam dia após dia dentro de mim.
Eu abraçava tanto minha filha como um dia fui muito abraçada por você.
Na minha infância, você esteve muito presente.
Enquanto eu estive muito ausente brincando pela rua.

Na adolescência eu precisei de ti mais do que o ar que respirava.
Não te encontrava e ficava sem ar.
E assim passei toda a minha adolescência...
Dividida entre o teu silêncio e a minha reclusão.
Levei esse drama para todos os meus relacionamentos.
Buscava você em todas as pessoas que cruzaram o meu caminho.

E você envelheceu docemente, sofridamente também sem o teu Amor maior.
Seu companheiro se foi desse mundo te deixando só com todas essas vidas...
Todos aqueles corações famintos de teu Amor.
Mas agora, teu coração estava sofrendo.
Achei que não sobreviverias. Mais uma vez você me surpreendeu.
Não apenas sobreviveu, mas se tornou mais silenciosa ainda.
Temerosa da própria vida.

E decidi então, que já era hora de conversarmos.
Mas a fragilidade de tua idade avançada me travou.
Certos assuntos te fariam sofrer, certamente.
E isso eu não gostaria mais de te causar.
Bastou o meu próprio sofrimento.
Bastou o nosso próprio sofrimento.

E os anos foram passando e quis saber mais de você.
Mas você nunca contou os fatos reais de tua vida.
Apenas coisas de fácil digestão para todos nós.
Tua vida foi complicada, minha Mãe.
E mesmo assim, ficasse firme até o final.
Não reclamava de nada. Não se enfadava com nada.

Tão diferente de mim que cresci tão desesperada.
Precisava de tua firmeza, de teu ar. Mas você continuou silenciosa.
Não sabias conversar prosas profundas.
Guardavas os segredos de tua vida a sete chaves.
Enquanto eu sentia necessidade de espalhar toda a minha vida aos quatro ventos.
Tempos diferentes, cabeças diferentes, épocas conturbadas.

Na tua velhice eu meu aproximei mais de você.
Muito mesmo. Mas não sabia que eu teria muitas questões a resolver.
Me preparei para tua partida.
Tentei ser o mais forte possível para ficar a teu lado.
Mas não consegui.
Queria ter ficado ao seu lado até o seu último suspiro nesse planeta.
Mas não consegui.

E, diferentemente de nosso grande Amor, seu esposo, meu Pai,
Tu partistes e nunca mais voltastes, nem em meus sonhos.
Eu sabia que reconhecerias o temor dentro de mim.
Eu sabia que não se aproximarias de mim nem depois de tua morte.
E no fundo te agradeço por isso.
Teu silêncio me deu respostas a muitas coisas.
Mas teu silêncio pesou e doeu muito também.

Eu te perdoo por qualquer silêncio, discrição e oração.
Eu me perdoo por não ter conseguido chegar até você.
Eu me perdoo pelo meu silêncio também.
Mas quero que saiba que eu te amei.
Quero que saibas que agora eu sinto o teu Amor.
Eu sinto o teu Amor hoje, na infância, na adolescência e por todo o sempre.

Que você possa se reconciliar com tua Mãe no céu.
Que possamos nos reconciliar, eu e você.
Que possamos nos reconciliar, eu e todos os seus filhos.
Que possamos nos reconciliar, eu, você e seu esposo.
Que possamos nos reconciliar hoje e sempre.
Por que Amor de Mãe é eterno. E você foi e sempre será minha MÃE.

Eu te amo, eu te amo, eu te amo.
Eu sinto muito, eu sinto muito, eu sinto muito.
Me perdoe, me perdoe, me perdoe.

Muito obrigada, muito obrigada, muito obrigada.

Ego Meu


O Amor tem todas as coisas. Tem também meu Ego. Meu querido Ego. Não é tão difícil dizer a si mesmo "Eu Te Amo", quando o mundo te nega até um olhar. Estamos correndo tanto... ou sou eu quem corre e penso que o mundo todo é que está correndo sem parar? Não consigo olhar a minha volta. Será que é assim com todo mundo? Não consigo enxergar as pessoas. Tão interiorizada que me encontro, a mente repleta de pensamentos, o corpo sofrendo com tantas emoções. Quando foi que me tornei isso? Esse Egotismo vulcânico? Quando era mais nova, lá pela minha adolescência, eu vivia como em um sonho. Ao longo de toda uma vida, exercitei a rotina da vida: acordar, trabalhar, preocupar, comprar, dormir, esperar. Sim, meu Ego sempre esperou alguma coisa, sempre acreditou que alguma coisa, indefinida dentro de mim, ia surgir e tudo faria sentido.
Agora vejo que a vida não tem sentido, a não ser, ser a vida. E hoje eu tento aceitar que eu sou apenas eu, e não meus sonhos de adolescência. Por que sonhos são apenas sonhos.
E o Ego?

Facebook Fora do Ar


Facebook fora do ar... coitado das milhões de pessoinhas que fizeram dele sua diversão diária.
Para falar a verdade, eu até senti falta de ver o site abrir. Só isso. Gosto de passar o tempo brincando de desenhar no Paint Shop Pro. Por causa disso e de outras mil razões eu não vivo para o Facebook. Eu tenho o Facebook , mas ele não me tem.
Li na internet que o site ficará fora do ar por 24hs por decisão judicial. É... O Brasil continua sendo um País muito engraçado. Algumas leis entram em vigor com a velocidade de um raio, enquanto outras, até mais sérias e urgentes, levam uma eternidade para que o Juiz bata o martelo. Por essas confusas e mal vistas decisões é que acabamos concluindo que a corrupção no Brasil jamais terá fim.
Existem situações tão mais emergenciais do que tirar um site do ar, e eu me questiono até que ponto chegaremos para que um Juiz no Brasil comece a agir como uma pessoa que estudou para desenvolver a capacidade de um julgamento justo. Mas política aqui nesse País de Meu Deus sempre teve peso maior do que a Educação, a Saúde, a Segurança.
Não sei quando, mas isso um dia vai ter que mudar. Nem que seja por ordem divina.
Eu acredito nisso, por que em nada mais acredito nesse País.


13 de out de 2012

Shahrukh Khan


Você é meu céu, você é minha paixão
Você é o meu desejo, você é a paz em minha alma...
Eu só sei que vejo Deus em você, que mais posso fazer?
(Tradução livre de tujh mein rab dikhta hai)
Vídeo aqui: http://youtu.be/BGNfkPoybrA

Li em algum Wikipedia que Shahrukh Khan não mais faria filmes românticos. Que pena... vamos perder um grande ator indiano, que na sua crise dos 40 só quer brincar de bang bang. Tomara que essa crise acabe logo (ouvi dizer que já acabou!). Por que é assim que eu o vejo, todo romântico, cheio de trejeitos gostosos e muito, mas muito charmoso.



18 de jul de 2012

Liberdade Condicional

A liberdade condicional é um fato corriqueiro e diário em nossa vida. Na verdade, não existe liberdade, pelo menos não enquanto neste Planeta vivermos, enquanto em um corpo físico habitarmos. A única liberdade que existe realmente encontra-se em nossa mente, lugar onde podemos facilmente nos transformar, viajar, nos tornar felizes ou tristes. Isso apenas até o instante em que a própria mente nos condiciona. Aí então, passamos a ser presos incondicionais de seus caprichos, temores, ações e reações. O que é a Liberdade, então?



27 de abr de 2012

FRASE MUIIITOOO INTERESSANTE


"Antigamente as mulheres cozinhavam igual à mãe...
Hoje , estão bebendo igual ao pai !"


25 de abr de 2012

PARA PENSAR...


Quem compra drogas financia o crime organizado!
Quem paga impostos também!!!


CONJECTURAS PROFUNDAS OU A PÍLULA DO DIA SEGUINTE


Se a pílula do dia seguinte já é considerada um aborto..........?

Conclui-se, no âmbito jurídico, que masturbação é homicídio premeditado;

Sexo oral é canibalismo; coito interrompido é abandono de incapaz;

sexo com camisinha é homicídio por asfixia;

e sexo anal é mandar seu filho ir á MERDA!

Certo?


ORAÇÃO DO JOÃOZINHO EM 2012



Senhor todo poderoso: há 2 anos o Senhor levou meu cantor favorito Michael Jackson! Meu locutor favorito Lombardi! Meu ator preferido Patrick Swayze! Minha dançarina preferida Lacraia! Esse ano levou minha cantora favorita Amy Winehouse! 

Quero lembrar ao senhor que meus políticos preferidos são:

José Sarney, Fernando Collor, Paulo Maluf,  Luiz Inácio Lulla da Silva, Dilma Rousseff, Ideli Salvatti, Tarso Genro, Olívio Dutra, José Dirceu, Antonio Pallocci, José Eduardo Cardoso, Aluísio Mercadante, Guido Mantega, Michel Temer (menos a mulher dele)...

Por favor, coloque-os na ordem de sua preferência.


PAZ NO MUNDO


"A paz no mundo começa dentro de mim, quando me aceito, de corpo e alma e reconheço meus defeitos, com paciência e calma, e em vez de me fragmentar em mil pedaços.

Eu me coloco inteiro no que penso, sinto e faço, passageiro no tempo e no espaço, sem nada para levar que possa me prender, sem medo de errar e com muita vontade de aprender. 

A paz no mundo começa entre nós, quando eu aceito o teu modo de ser, sem me opor ou resistir e reconhecendo as virtudes do outro, sem invejar...
 
A paz no mundo começa quando as palavras se calam e os gestos se multiplicam, quando se reprime a vergonha e se expressa a ternura, quando se repudia a doença e se enaltece a cura... 

ou quando se combate a normalidade que virou loucura
e se estimula o desejo de melhorar a humanidade, de construir uma outra sociedade, com base numa outra relação... 

Uma relação em que amar é a regra, e não mais a exceção."

(Desconheço a autoria)




INESPERADA REVELAÇÃO DE GENEROSIDADE

"Viva com muita calma, por entre a pressa e os ruídos, e lembre-se de quanta paz há no silêncio. Tanto quanto possível sem capitular, esteja em bons termos com a humanidade.

Diga a sua verdade calma e claramente; e ouça os outros, mesmo os mais medíocres e ignorantes - eles também têm sua história. Evite pessoas espalhafatosas e agressivas, pois essas são um insulto ao espírito.

Não se compare com os outros, para não se tornar vaidoso ou amargo, e saiba: sempre haverá pessoas melhores e piores que você.

Desfrute tanto de suas realizações quanto de seus projetos. Cultive seu trabalho, mesmo que ele seja humilde; pois esse é um bem real, frente às variações da sorte. Seja cauteloso nos negócios, pois o mundo é cheio de armadilhas; mas não deixe que isso o torne cego para a virtude, que está sempre presente; a vida é cheia de exemplos de heroísmo.

Seja sempre você mesmo, e sobretudo nunca finja afeição, nem seja cínico em relação ao amor, pois, apesar de toda a aridez e desencanto, ele é tão perene quanto o mato. Aceite serenamente o passar dos anos, abrindo mão do que pertence à juventude.

Fortaleça o espírito para enfrentar uma súbita infelicidade, mas não fique se preocupando com o que não aconteceu, pois muitos temores são apenas fruto do cansaço e da solidão.

Mesmo seguindo uma disciplina rigorosa, seja leniente com você mesmo: você é filho do universo, tanto quanto as árvores e as estrelas, e tem o direito de estar aqui; e, mesmo que isso não lhe seja muito claro, não tenha dúvidas de que o universo caminha como deve.

Portanto esteja em paz com Deus, da maneira como você o conceber, e sejam quais forem suas lutas e aspirações - na terrível confusão que é a vida - fique em paz com sua alma, pois, apesar de todas as dificuldades, mentiras e sonhos desfeitos, este ainda é um lindo mundo.

Se cuide, e lute para ser feliz."

(Encontrado na velha Igreja de São Paulo, em Baltimore, no ano de 1692)