Pesquisar este blog

16 de set de 2007

Meus sabonetes artesanais

Os primeiros experimentos com sabonetes. Ficaram bonitos e cheirosos. Depois deles não parei mais.

Materiais usados:
Glicerina
Essências a base de óleo e corantes a base de água – para cada 50gr de glicerina usei de 1,5ml a 2,5ml de essência.
Panela de ágata e/ou recipiente plástico (uso em microondas).
Pipeta.
Álcool de cereais – usar de vez em quando, pois a glicerina já vem pronta.
Colher descartável e/ou palito de sorvete.Ervas desidratadas, sementes de maracujá, pedaços de sabonete.Moldes de PVC, VINIL e SILICONE.
Filme plástico usado em cozinha.

Modo de Fazer:
Derreter a glicerina em banho-maria, sem deixar ferver a água, mexendo sempre – caso crie nata, borrifar o álcool de cereais. Esperar esfriar levemente e colocar a essência, o corante e misturar bem. Antes de derramar na fôrma, afastar a nata com a espátula .

Dicas:
Sementes/Ervas: colocar na fôrma, derramar a glicerina e dar uma mexida nelas, reorganizando-as.
Brinquedos: derramar glicerina na metade da fôrma, colocar o brinquedo e cobrir com a glicerina restante.
Pedaços de sabonete: colocar os pedaços de sabonete, derramar a glicerina, borrifar o álcool, mexer espalhando os pedaços – não tirar a nata.

©EveD

Decoupage em madeira

Caixinhas e decoupage sempre foram minhas paixões। Comecei devagar, bem devagar; fiquei viciada e só parei devido a falta de tempo. Acabei presenteando amigos e fiquei com poucas para postar. Mas vai assim mesmo:

Materiais usados:
Caixinha de madeira
Guardanapo para Decoupage
Tinta pva
Rolinho de espuma
Lixa para madeira
Secador
Esponja marinha
Pincel
Verniz para Decoupage
Cola para Decoupage
Pano macio
Cera micro cristal
Marcador Permanente

Modo de Fazer:
Aplicar uma demão de tinta pva branca e ir passando o rolinho para espalhar bem a tinta
Lixar toda a caixa
Aplicar outra demais, desta vez sem o rolinho
Recortar o guardanapo
Pincelar verniz puro na caixa e colar o desenho recortado do guardanapo
Pincelar verniz puro sobre o desenho e ir enxugando com pano macio seco
Fazer o esfumaçado com a esponja marinha
Fazer a “costura” com o marcador permanente e os acabamentos necessáriosEnvernizar com 2 tampinhas de verniz para 1 tampinha de água e passar com pincel macio (se ficar pegajoso, passar cera micro cristal com pano macio no dia seguinte – pode também usar cera “Poliflor” em pasta)

©EveD

Eu mesma fiz esta estátua em gesso

Essa estátua eu demorei muito tempo para terminar, mas finalmente, um dia, eu consegui. Eu não apreciei tanto quanto trabalhar com guardanapos e caixinhas. De qualquer jeito, todos que viram aprovaram realmente o meu trabalho.

Material usado:
Peça em gesso
Pincel
Betume
Pátina cera (nas cores vinho e amarelo ouro)
Goma laca indiana
Diluente líquido
Tinta pva preta
Tinta acrílica dourada
Verniz

Modo de fazer:
Aplicar a goma laca com pincel macio em toda a peça.
Aplicar 1 ou 2 demãos de tinta pva preta
Dar pinceladas largadas em toda a peça com a Pátina cera na cor vinho
Dar pinceladas pequenas em toda a pela com a Pátina cera na cor amarelo ouro
Fazer o acabamento nos detalhes da peça com a tinta acrílica dourada
Envernizar

©EveD

Um poema feito para mim

EÓLIO
Um grito de dor ao longe ouviu-se.
Quem o fez ninguém sabe,
De onde veio todos sabem.
O som de seu eco
Aos meus ouvidos chegou
sem os meus tímpanos ferir.

Grito de dor, amor; defeito de um peito
que não sabe o que quer.
Voz trêmula,
que aos poucos ia sumindo,
passageira com o vento.
Que no seu assobio
leva tudo que o som produz.

Então, foi embora,
foi para muito longe, bem longe...
E foi.
Isso não foi só para mim
E sim para todos que o vento levou.
Vênus desnuda,
que meu sentimento afetou,
escuta meus lamentos
que esta corrente carrega
nos momentos de amor.

©"Kung Paulo Fu" - Ele disse que foi escrita para mim, por isso guardo até hoje como um tesouro inestimável

Um poema à Oxum, Deusa do Amor

Photobucket
Photobucket

Ah, Minha Deusa
Quando foi a última vez
que senti a vida em mim,
feliz, suave, pulsando
num ritmo sem fim?

Quando foi que senti
o primeiro toque do amor,
a ilusão da primeira paixão,
a dor do primeiro adeus,
o sabor da primeira lágrima em vão?

Ah, Minha Deusa
me permita amar de novo,
o amor dos homens,
a paixão dos loucos,
pelo qual anseia meu corpo.

Me permita ser feliz e infeliz,
sonhar e sofrer.
Me permita te pedir
o amor que mereço nesta vida,
passageiro como a brisa.

Me permita amar e chorar,
me entregar a uma paixão qualquer.
Sentir o passado voltar,
trazendo o que me for de merecer.

Ah, Minha Deusa,
Não sabes, não sonhas,
como é triste sentir o vazio
onde um dia senti o amor.
Como é triste sorrir sem vontade,
por nem ter por que chorar.
Como é triste fingir pesadelos
quando não se tem o que sonhar.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

©Escrito por EveD